Resenha: Tio Petros e a Conjectura de Goldbach, de Apostolos Doxiadis


Sendo filha de uma professora de matemática, minha vida sempre esteve envolta em números. Como eu gosto mais de ler do que calcular, vez ou outra minha mãe traz um livro da biblioteca de sua escola cujo tema é matemática e eu inevitavelmente acabo lendo. “Tio Petros e a Conjectura de Goldbach” foi um destes, e em nada lembra as dificuldades das aulas ou os cálculos difíceis: é um romance para os leigos admirarem.

Escrito em primeira pessoa por um narrador que nunca se identifica, o livro conta a história do fictício matemático grego Petros Papachristos, que passou toda sua vida tentando demonstrar a conjectura de Goldbach, problema aparentemente simples que enuncia: “Todo número inteiro par maior que 2 pode ser representado como a soma de dois números primos”. Sua trajetória é cercada por excentricidades, surpresas e participações de matemáticos que realmente existiram.
Petros era a ovelha negra da família: 100% dedicado aos números, ele não é tão bem-sucedido quanto seus irmãos mais novos, que o definem como “um desses fracassos da vida”. Mas a trajetória dele não indicava esse desfecho: aluno prodígio, professor na Universidade de Munique, fanático por xadrez. Mas foi consumido pela obsessão de demonstrar o teorema.

Quando adolescente, o narrador havia tentado se aproximar do tio Petros, a contragosto da família. O tio pregou-lhe uma peça algébrica e fez o sobrinho prometer nunca se tornar matemático. Mais velho, já na universidade, o narrador descobre sua vocação – e também toda a verdade sobre o tio Petros.

Se “Tio Petros” não é engraçado o tempo todo, vez ou outra suas excentricidades (como a tentativa de demonstrar a conjectura usando feijão, daí a presença de feijões na foto que abre o post), bem como a trajetória do próprio sobrinho narrador dentro da matemática arrancam risos dos leitores. Definido melhor pela expressão “agridoce”, Tio Petros e sua história mostram as alegrias e frustrações dos grandes pesquisadores e revela, de uma vez por todas, que os gênios também têm um grande coração.

O veredicto: 5 minions!


EXCELENTE!

Comentários

  1. Nossa parece ser bem interessante ainda não tinha ouvido falar deste livro te convido a conhecer meu blog e se gostar se inscreva beijos ♥ http://estrelaar.blogspot.com.br/ Fique com Deus ♥

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Blogagem coletiva: 5 coisas que eu quis ser

Resenha: Morada das Lembranças, de Daniella Bauer

Quiz: qual personagem você é?